Em favor da democracia: o jornalismo que resiste

Em favor da democracia: o jornalismo que resiste¹

Resumo: Este artigo visa analisar como o contexto político-social da crise que tem afetado o Brasil tem repercutido na atuação de jornalistas ligados à grande mídia ou não. A fim de compreender tal fenômeno, utilizamos, como principal aporte teórico, as produções de Sylvia Moretzsohn (2002), Venício Lima (2013), Janet Wasko (2006) e Jessé de Souza (2009). Após a análise do panorama da atuação jornalística brasileira na atualidade, foi possível perceber a gravidade do desserviço que grande parte dos grupos de mídia tem prestado ao jornalismo, mas também constatar que, em nome da democracia e do sentimento de classe, muitos profissionais têm resistido à sobreposição dos interesses particulares na esfera pública.

Palavras-chave: jornalismo; mídia; comunicação; crise de representação; sentimento de classe.

Autora: Melina Costa Lima FRAGA²

Orientadora: Ana Maria da Conceição VELOSO³

Instituição: Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Artigo completo: http://www.portalintercom.org.br/anais/nordeste2016/resumos/R52-2149-2.pdf

____________________________

¹ Trabalho apresentado no IJ 1 – Jornalismo do XVIII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Nordeste realizado de 07 a 09 de julho de 2016.

² Graduada no curso de Letras (Vernáculo), pela UFPE, e pesquisadora do Observatório de Mídia: Gênero, Democracia e Direitos Humanos, projeto desenvolvido pelo Departamento de Comunicação Social da UFPE.

³ Orientadora do trabalho, doutora em comunicação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), professora do Departamento de Comunicação da UFPE e integrante do Observatório de Mídia/UFPE: Gênero, Democracia e Direitos Humanos. E-mail: anavelosoufpe@gmail.com

  • Últimas Notícias

  • Projetos